Orientações para a greve dos petroleiros do Ceará

 

Conforme resultado da última assembleia, a greve ocorrerá do dia 25/11 a 29/11.

Apenas participação de todos os empregados poderá barrar o desmonte, demissões e transferências no sistema Petrobrás. A forte unidade dos trabalhadores forçará a empresa a negociar a pauta exigida pela categoria, aprovada por 98% na última assembleia. A greve é um direito previsto em lei, portanto, durante o movimento paredista o seu contrato de trabalho estará suspenso e não poderá haver demissões.

AGENDA DE GREVE (25/11): Os trabalhadores do turno e administrativo da Lubnor, Transpetro (Mucuripe, Maracanau e Pecém), Manhattan e TermoCeará devem se dirigir ao Portão A da Lubnor, às 7h.

AO FINAL DE CADA DIA SERÁ DIVULGADA A AGENDA DO DIA SEGUINTE.

ORIENTAÇÕES GERAIS

-Todas as unidades com regime de turno deverão cortar a rendição até que a empresa negocie a contingência com o sindicato em cada unidade;

– Não antecipe a sua jornada e nem permaneça no seu posto após o fim do seu horário de trabalho. Caso não seja permitida a sua saída, o trabalhador deverá comunicar ao sindicato, que fará a denúncia de cárcere privado e tomará as medidas judiciais cabíveis;

– Não utilize os transportes da empresa durante os dias de greve;

ORIENTAÇÕES JURÍDICAS:

– Não assine nenhum documento individual encaminhado pela Petrobrás;

– Caso a Petrobras insista que você assine qualquer documento que, por exemplo, dê a sua autorização para que permaneça na unidade durante a greve, não assine, e denuncie ao sindicato;

– Em resposta a qualquer chamado da Petrobrás, o trabalhador deve comunicar ao Sindicato e assinar a carta modelo, elaborada pelo jurídico do Sindipetro, entregar ao sindicato ou ao representante da empresa e exigir uma via de recebido (clique aqui para ver a carta – imprima, preencha e assine).

– Não durma na unidade operacional (exceto nas unidades que cuja rotina já existe);

ORIENTAÇÕES SOBRE ASSÉDIO

– Denuncie ao Sindipetro qualquer tipo de assédio que venha a sofrer para que a entidade sindical tome as providências jurídicas cabíveis;

– Ao se sentir pressionado, grave as conversas com a gerência e encaminhe o áudio para o Sindipetro (veja abaixo os canais de comunicação). Precisamos comprovar as situações de assédio.

– As provas de assédio farão parte das ações que a assessoria jurídica do Sindipetro irá impetrar na justiça para criminalizar todos os gerentes e supervisores que estejam assediando os trabalhadores;

– Quando o gerente ou supervisor for lhe assediar, lembre que ele também participou das assembleias que decidiram pela greve, e, portanto deve respeitar a decisão da maioria;

– Ao chegar ao local de trabalho durante a greve, junte-se à direção sindical e movimentos sociais nos piquetes, em todas as frentes. O sindicato vai precisar da ajuda de todos e todas. Uma greve vitoriosa só pode ser feita com a participação de toda categoria.

– Converse com o seu companheiro e não ceda à pressão das gerências.

– Lembre-se que é ilegal o trabalhador da Petrobras dar ordens a trabalhador terceirizado em período de greve;

Canais para denúncias

– sindipetro@sindipetroce-pi.org.br / WhatSapp Sindipetro (85) 985210821.

Jorge Oliveira: 985369978
Emanuel Menezes: 996412142

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SINDIPETRO-CE/PI

Avenida Francisco Sá, 1823, Jacarecanga - CEP: 60010-450
(85) 3238-6355 / imprensa@sindipetroce-pi.org.br