TermoCeará: sindipetro realiza ato contra o PCR e por PR para todos do Sistema Petrobrás

Diretores do Sindipetro Ceará/Piauí esclareceram a não aceitação da segregação e separação do sistema Petrobrás       

Na manhã desta sexta-feira, 31, as bases dos Sindicatos filiados à FUP amanheceram com mais um ato contra o golpe que está sendo dado nos direitos dos trabalhadores.

No Ceará, a diretoria alertou sobre a inconstitucionalidade do Plano de Cargos e Remuneração, criado unilateralmente pela Petrobrás, sem debate com as entidades representantes dos trabalhadores.

“A força do nosso acordo coletivo reside na unidade da classe trabalhadora. A partir do momento que estamos sob ataque, terceirização irrestrita e acordos individuais sendo fechados, o nosso ACT fica cada vez mais frágil”, afirmou Douglas Uchoa, secretário-geral do Sindipetro CE/PI.

Douglas explicou ainda que, a medida em que vão se fazendo acordos individuais, fica menos vantajoso trabalhar na Petrobrás e mais parecido com a iniciativa privada. “No governo FHC, o acordo coletivo foi jogado no lixo e em 2019 pretendem fazer a mesma coisa com o PCR. Está se desenhando um cenário onde a categoria fica cada vez mais frágil.  Se formos fechando acordos individuais, enfraquecemos nossa capacidade de luta em defesa da Petrobrás e assim eles a vendem. Como a Petrobrás vai manter a gente num emprego desses se poderão terceirizar? Se a gente começar a se ater a coisas pequenas, seremos destruídos enquanto categoria”, finalizou.

Já sobre a PR, a Araucária Nitrogenados recebeu a PLR de 2013. Em 2014 houve lucro na unidade, mas os trabalhadores foram informados que não receberiam PLR, por fazer parte do sistema Petrobrás, que não tinha dado lucro. Agora, em 2018, a Petrobrás afirma que ela não faz mais parte do sistema Petrobrás, embora não tenha sido vendida.

Para o presidente do Sindipetro CE/PI, Jorge Oliveira, a categoria deve pressionar suas respectivas chefias para que a Petrobrás cumpra o ACT e pague a todos os petroleiros. “A Petrobrás induz a divisão dos trabalhadores, para que a PLR seja individualizada entre as unidades, ou seja, é a Araucária agora, amanhã tiram da Transpetro, depois das unidades sem lucro”, esclareceu.

Sobre pedido de assembleias, Jorge explicou que não há necessidade para se aceitar a PR, pois está regrado, com valor definido. Questionado sobre entrar com ação judicial para o pagamento, foi esclarecido que é o que a ‘Petrobrás quer’, pois judicializar engessaria de vez o processo.

4 Comentrio para TermoCeará: sindipetro realiza ato contra o PCR e por PR para todos do Sistema Petrobrás

  1. Daniel Barbosa de disse:

    Parabéns mais uma vez!
    Nenhum Petroleiro a Menos na Promoção por Antiguidade de Nível Médio de Pleno para Sênior, não ocorreu, esqueceram 40% dos petroleiros de Nível Superior. A frase Nenhum a Menos é só para poucos. POR UM SINDICATO PARA OS PETROLEIROS E NAO PARA FUP!

  2. Daniel Barbosa Martins disse:

    COMO O PESSOAL DA FOTO NÃO APOIA A PCR SE A MAIORIA JÁ ADERIU, NÃO ENTENDI?

  3. Danile Martins disse:

    ()% das pessoas da foto assinaram o termo de PCR, como assim são contra?

  4. Daniel Martins disse:

    90% das pessoas da foto ja estão no PCR, acho que nenhum deles foi contra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SINDIPETRO-CE/PI

Avenida Francisco Sá, 1823, Jacarecanga - CEP: 60010-450
(85) 3238-6355 / imprensa@sindipetroce-pi.org.br